Débora Dantas passaria por 10 procedimentos ao longo da 2ª fase de tratamento neste ano, mas adiou para 2021.

Médico explica que cirurgias são estéticas e não há problemas de saúde.

A jovem Débora Dantas, que teve o couro cabeludo arrancado em um acidente de kart no Recife (PE) em agosto do ano passado, adiou as cirurgias agendadas para 2020 em Ribeirão Preto (SP) por causa da pandemia do novo coronavírus.

"Eu pedi para que cancelasse todas, porque esse é um momento que precisa lutar para preservar a nossa vida.

Como eu sempre digo, a vida é o bem maior que a gente tem e que nada vale se a gente não estiver vivo", disse a estudante.

Débora Dantas, que teve o couro cabeludo arrancado em kart, adiou cirurgias em Ribeirão Preto (SP) por causa da Covid-19 Reprodução/EPTV Segundo o cirurgião plástico Alex Fioravante, que integra a equipe do Hospital Especializado da cidade, Débora deveria ser submetida a 10 cirurgias ao longo da segunda fase do tratamento, neste ano.

Fioravanti explica que todos os procedimentos são estéticos e não há problema em adiá-los.

"Todos os procedimentos que estamos planejando são para melhorar a qualidade da pele, alteração de cor que essa pele tem ao restante da face e preparar a área da sobrancelha para ter maior sucesso para quando for feito o transplante de cabelo para a sobrancelha.

São [cirurgias] estéticas e ela não está correndo nenhum risco de saúde.

Podem ser adiadas", diz o médico. A estudante está sendo acompanhada pela equipe de Ribeirão Preto desde agosto do ano passado, quando coágulos em veias e artérias prejudicaram o reimplante do couro cabeludo que havia sido feito no Hospital da Restauração, na capital pernambucana.

No acidente, ela teve a pele arrancada desde a altura dos olhos até a nuca. No início de 2020, Débora retornou ao interior de São Paulo para iniciar a a segunda etapa do tratamento.

Em janeiro, ela foi submetida a uma lipoenxertia, que é um enxerto de gordura retirada do abdômen, além de retoques nas cicatrizes na cabeça, para melhorar a qualidade da pele e prepará-la para um possível implante capilar. Débora Dantas foi escalpelada e perdeu o couro cabeludo em acidente de kart no Recife Pedro Alves/G1 Embora ansiosa para os procedimentos estéticos, Débora decidiu adiar para 2021 a continuidade do tratamento.

"Eu sei que isso vai fazer com que demore mais, mas sei que a gente vai estar bem nesse momento.

Seriam 10 cirurgias esse ano, de fevereiro até dezembro.

A cirurgia para colocar a sobrancelha seria no mês sete [julho].

Eu pretendo fazer somente cirurgias no ano que vem, que apesar de a situação parecer terrível, eu acredito que toda a dificuldade tem uma lição, vai dar tudo certo", diz.

Acidente Débora participava de uma corrida de kart com o namorado na tarde de 11 de agosto do ano passado, em uma pista no estacionamento do Walmart, em Boa Viagem, na zona Sul do Recife (PE), quando o cabelo dela, que era na altura da cintura, soltou da touca e prendeu no motor do veículo. A pele foi arrancada desde a altura dos olhos até a nuca da jovem, que foi socorrida pelo namorado, Eduardo Tumajan, e levada ao Hospital da Restauração, na capital pernambucana.

Tumajan disse que pegou "o rosto dela na mão", colocou em uma sacola e correu para levá-la ao hospital. Débora Dantas no kart onde sofreu acidente em Recife (PE) Reprodução/WhatsApp Os médicos conseguiram recuperar e reimplantar 80% da área atingida, além de retirar trombos, mas apontaram o risco do procedimento não funcionar devido às obstruções em veias e artéria. Em 18 de agosto, Débora foi transferida para Ribeirão Preto.

Na mesma noite, os médicos confirmaram que coágulos em veias e artérias prejudicaram o reimplante do couro cabeludo, que precisou ser retirado.

O crânio foi coberto com um curativo, que chegou a ser refeito no dia 20. No dia 22, Débora voltou ao centro cirúrgico.

Dessa vez, os médicos reconstruíram as pálpebras superiores e parte da testa.

A partir daí, a equipe passou a planejar o transplante de pele e músculo, realizado dois dias depois com participação de um especialista dos EUA. No início de setembro, a jovem foi liberada da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Débora recebeu alta médica em 12 de outubro e passou a se dedicar aos estudos pré-vestibulares. Segundo o Procon-PE, o Grupo Big – que adquiriu a rede Walmart – informou que "seguirá custeando a segunda etapa do tratamento médico junto à equipe médica de Ribeirão Preto, arcando com o valor de R$ 300 mil da equipe médica".

Débora Dantas ganhou peruca que reproduz visual anterior ao acidente com kart Reprodução/TV Globo Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca